Hoje tem!

O Família de Rua é um coletivo belorizontino que celebra a cultura de rua e é o grande responsável pelo movimento de ocupação do Viaduto Santa Tereza. É ele quem organiza o evento mais expressivo da música hip hop de BH: o Duelo de MC’s. É coisa bonita de se ver, viu? Os caras ocupam o espaço público e montam uma cena cultural, inclusiva e participativa para celebrar a música e voz que vem das ruas.

Foto: Pablo Bernardo – Indie BH

Infelizmente, o viaduto está fechado para reformas desde janeiro de 2014. A entrega da obra estava prevista para outubro/14, mas foi adiado para fevereiro próximo, porque um projeto para a restauração ainda não foi apresentado pela Prefeitura. Com a ocupação desde fevereiro/14, o pessoal do coletivo começou a acompanhar as obras ali de perto, exigindo transparência e participação popular da Prefeitura. Vamos combinar: essa não deve ser um tarefa muito fácil.

Foto: Pablo Bernardo – Indie BH

Como a parte do palco onde o Duelo acontece já está pronta, o convite está feito. Hoje é dia de ocupar o viaduto mais uma vez. A partir das 20h, já pode chegar que hoje tem! Aproveita o clique e confirma presença no evento: Sexta tem Viaduto!

Enquanto não chega a noite, vai ouvindo essa pra entrar no clima.

Anúncios

Tchau, Manoel.

Quinta-feira já é dia de desacelerar e nada melhor para isso do que poesia. Em homenagem ao partente de hoje, Manoel de Barros, apresentamos esse lindíssimo documentário.

Descanse, Manoel que por aqui, ficamos com os seus versos.

“Não preciso do fim para chegar. Do lugar onde estou já fui embora.” – O livro sobre nada.

Reunião

Trip and Tyler é uma dupla engraçadinha do youtube que adora fazer sátiras sobre o mundo do “business”. Dessa vez, os caras soltaram um catálogo dos tipos característicos das tão detestadas reuniões e – devemos dizer! – é ótimo além de ser bem em sintonia com a realidade.

Detalhe importante! O vídeo foi patrocinado pelo Airtame, que é um programa que conecta seu computador (PC ou Mac) à televisão da sala de reuniões via wireless. Mas, na real, o ponto central do sketch está longe de ser isso. Bom mesmo é o humor e numa segundona dessa, uma risada não cai mal. Dá o play!

Trona

Esse é um pequeno curta sobre a história da cidade de Trona. Com uma narração em off bem bonita e uma bela fotografia com imagens desérticas, o vídeo cumpriu o requisito para o post de sexta.

quartoamado

A galeria quartoamado é uma galeria diferente. Primeiro que só de estar fora do eixo Rio-SP, já não se pode dizer que ela é tão comum assim. E, sendo de BH, ela só aceita e agencia artistas daqui e que queiram mudar a cena da cidade de alguma forma. São grafiteiros, músicos independentes, pintores: toda uma galera reunida em torno daquela ideia de mudar o mundo pela arte e, ao mesmo tempo, viver dela.

Seguindo esse norte, os caras foram parar em Itatiaia – um vilarejo no pé da serra de Ouro Branco, aqui mesmo nas Minas Gerais. Começaram então, em maio, um processo de residência artística com dois artistas, Clara Valente e Thiago Alvim. O resultado foi esse aí:

Mas isso foi só a primeira etapa. O projeto foi dando certo, a comunidade foi tomando gosto pela coisa e dois meses depois rolou a segunda etapa. No mesmo esquema: dois artistas colorindo a cidade. Dessa vez, com Baba Jung e Luiz Matuto.

Agora em outubro, o quartoamado levou mais dois caras pra Itatiaia, mas com um diferencial. Rato e Comum, além de artistas, são educadores. A terceira etapa da residência veio com uma pegada mais diferente, com oficinas para as crianças da comunidade e interagindo diretamente com os locais. É bonito de se ver. Dá o play!

Foda, né? Mas agora, só ano que vem. Vamos ficar no aguardo para ver o que mais de lindo sai das montanhas de Itatiaia.

Letra, música e Buda

Ontem, quinta-feira (30), Criolo lançou um lyrics video de sua música nova Convoque Seu Buda. É a primeira faixa do novo álbum e já dá pra sentir que a coisa tá boa. Além da letra ser uma porrada, o design ficou de matar.

Representando Cuba!

Muito se fala da política de Cuba hoje em dia por aqui nas terras tupiniquins. Mas, na verdade, pouco se sabe sobre a ilha caribenha de Fidel. No meio desse bolo de mistério, está o design. Entre os anos 1960 e 1980, a expressão política era mucho mucho fuerte. Até mesmo por questões de contexto. O que não deixou de contribuir para o lado estético da coisa. Saca só esses belíssimos exemplares do período.

O tempo passa e as coisas vão evoluindo e mudando. Hoje em dia, cá nos anos 2010, o design cubano tem outra cara: menos política, porém igualmente bela. Bastante diverso, esse compilado de posters vai te deixar boquiaberto.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pra quem quiser perder uma tarde admirando essas belezinhas, passa lá no Slanted. Dá para viajar no tempo e nos autores. A gente recomenda! E se puder, faça isso ouvindo os mestres.

 

via Opera Mundi