Arquivo da categoria: Design

Live!

Livro pop-up é coisa de criança porque criança sabe das coisas. É bonito, é interativo e é criativo. O que mais alguém pode querer de um livro? Pois é. A Lacoste sabe disso e está divulgando a nova fragrância masculina da marca, Live!, com um video de um livro pop-up. Confere aí!

O livro foi executado pela agência belga Ink Studio em parceria com a Wildvertising.

Anúncios

Letra, música e Buda

Ontem, quinta-feira (30), Criolo lançou um lyrics video de sua música nova Convoque Seu Buda. É a primeira faixa do novo álbum e já dá pra sentir que a coisa tá boa. Além da letra ser uma porrada, o design ficou de matar.

Representando Cuba!

Muito se fala da política de Cuba hoje em dia por aqui nas terras tupiniquins. Mas, na verdade, pouco se sabe sobre a ilha caribenha de Fidel. No meio desse bolo de mistério, está o design. Entre os anos 1960 e 1980, a expressão política era mucho mucho fuerte. Até mesmo por questões de contexto. O que não deixou de contribuir para o lado estético da coisa. Saca só esses belíssimos exemplares do período.

O tempo passa e as coisas vão evoluindo e mudando. Hoje em dia, cá nos anos 2010, o design cubano tem outra cara: menos política, porém igualmente bela. Bastante diverso, esse compilado de posters vai te deixar boquiaberto.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pra quem quiser perder uma tarde admirando essas belezinhas, passa lá no Slanted. Dá para viajar no tempo e nos autores. A gente recomenda! E se puder, faça isso ouvindo os mestres.

 

via Opera Mundi

BoCo: crowdfunding pela cidade

A Colômbia, sendo o país latino que é, enfrenta muitas dificuldade ainda. Algo meio que à la brasileira: violência, crise econômica e guerra ao tráfico. Mas no coração desse cenário, bate uma belíssima capital. Bogotá é uma capital inovadora, porque repensa a qualidade de vida e o senso de comunidade a partir do design urbano.

Para possibilitar que essa evolução seja constante e cada vez mais colaborativa, o estudante de design Jose Fresnedo criou o BoCo.

Mas que diabos é isso? A ideia na verdade é muito simples. Uma plataforma de crowdfunding na qual designers colombianos podem propor soluções para os problemas da cidade. Eles fazem o pitch e os usuários podem, então, apoiar, compartilhar e celebrar projetos de sucesso com festas de arrecadação.

Seguindo a lógica do kickstarter e de tudo quanto é site desse tipo, os doadores recebem uma recompensa. Mas diferente de tudo que a gente já conhece, ao invés de ser presenteado com algum produto relativo ao projeto o qual está ajudando, o usuário ganha “créditos” para eventos culturais.

Até o momento, a plataforma está em fase de aprimoramento e construção. Parece que os caras ainda estão atrás de parceiros e colaboradores, para que o BoCo já vá ao ar com força total. Mas – não fique triste! – já dá para se cadastrar no site e receber updates da equipe. É só se inscrever aqui.

Enquanto isso, nós só observamos das terras tupiniquins, esperando que algo parecido seja feito por aqui.

Os sete pecados digitais

Pelos caminhos da história afora, não precisa de ser gênio para ver: a cada nova tecnologia, passamos por uma mudança de hábito. Foi pensando nisso que o The Guardian produziu a série Seven Digital Deadly Sins, em parceria com a National Film Board of Canada.

Luxúria, Preguiça, Avareza, Gula, Inveja, Ira e Orgulho: como é ser pecaminoso na era das mídias digitais? Para responder a essa pergunta central, o site faz um apanhado de textos que circulam ao lado de um vídeo de entrevista. Cada entrevistado parece ser a encarnação contemporânea de um dos pecados capitais.

Com um design bastante interativo (e bonito!), o projeto vale o clique.

Livros de um segundo

Já parou pra pensar em quanta coisa é publicada no twitter em um segundo? É conteúdo o bastante para preencher 4 livros!

Um estudante suísso de design na HGK Basel teve essa ideia para uma disciplina na faculdade e os professores gostaram tanto que resolveram materializar o projeto.

 

O #oneProject é uma série de quatro livros que englobam mais de cinco mil tweets em 42 línguas. O designer criador, Philipp Adrian, ainda fez uma compilação dos usuários, baseado na cor e no design de seus perfis. Isso tudo sem deixar o contexto de fora. Tá bom ou quer mais?

Até agora, o projeto está disponível somente na biblioteca da HGK Basel. Mas o autor avisa que, tendo interesse o bastante, a publicação pode rolar. 

 

via yahoo tech

Com amor

Quantos cartões de presente são assinados assim? Infinitos. Um arquiteto brasileiro resolveu levar isso ao pé da letra e o resultado foi esse: 

O cara literalmente faz objetos com amor, através desse sistema multisensorial que transforma amor em forma. O projeto chama Love Project e foi apresentado no Design Weekend São Paulo. 

Funciona mais ou menos assim: a pessoa conta uma história de amor enquanto os sensores monitoram as ondas cerebrais, a voz e os batimentos cardíacos. A forma vai variando de acordo com o discurso, seguindo esse parâmetros aí: 

Bonito, né? Os desenvolvedores (Guto Requena + D3 Studio) já estão trabalhando para lançar um aplicativo que reproduza o projeto e dê a opção para o usuário de mandar o desenho para uma impressora 3D. 

Se quiser dar uma sacada no trabalho do Guto Requena, clica .

 

via PSFK