Tchau, Manoel.

Quinta-feira já é dia de desacelerar e nada melhor para isso do que poesia. Em homenagem ao partente de hoje, Manoel de Barros, apresentamos esse lindíssimo documentário.

Descanse, Manoel que por aqui, ficamos com os seus versos.

“Não preciso do fim para chegar. Do lugar onde estou já fui embora.” – O livro sobre nada.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s