E se os Beatles fossem uma rede social?

Na última terça-feira (29) fez 10 anos que o mundo perdeu um dos mais geniais compositores e guitarristas da história: George Harrison. A morte do músico foi de certa forma um divisor de águas para fãs e para quem tem interesse na história dos Beatles. Harrison juntou-se à John Lennon na metade do grupo que já nos abandonou e deixou por aqui Paul McCartney Ringo Starr como representantes da maior banda do mundo.

Se hoje a banda transita em meio ao imaginário coletivo de quem não viu, e no coração de quem viveu a época, é porque quatro gênios, distintos em suas idiossincrasias permitiram que egos, pensamentos e talentos fossem combinados em uma explosão de sucessos.

Os Fab Four moldaram um novo estilo de vida e configuraram, sem exagero nenhum, uma nova maneira de nos comunicarmos – através da música. Assim como os músicos se diferenciavam por seus perfis, a proposta aqui é fazer uma brincadeira e imaginar cada integrante dos Beatles como uma rede social.

Vamos lá:

John Lennon – De espírito revolucionário e líder por geniosidade, persistiu em suas ideias e acreditou desde sempre no sucesso. Não sabia se comunicar com o público-alvo no início, mas aos poucos foi perdendo a timidez e virou ícone de uma geração. Se fosse uma rede social, seria o Facebook, mobilizando milhares para confirmar presença em eventos e compartilhar pensamentos.

Paul McCartney – Paul não procurou a liderança, a liderança procurou Paul. Foi por um talento nato e por muita sensibilidade, que Paul não era o braço-direito de John, era um piloto do mesmo submarino. Com muito humor e perseverança, tem seguidores pelo mundo e suas palavras e melodias ecoam pela construção e pelo senso comum da arte. Se fosse uma rede social, seria o Tumblr, reblogado por todo mundo e viciante quando se começa a usar.

Ringo Starr – Quem está por trás de tudo. Apesar de não parecer, a calma e a tranquilidade de Ringo em meio a décadas conturbadas mantiveram o beatle ainda hoje no palco. Vida pessoal discreta, vida musical também, Ringo é um bateirista talentoso que apesar de hoje não estar em sua melhor forma, continua produzindo e tocando pelo mundo todo – e muito bem. Se fosse uma rede social, seria o Orkut, que apesar de hoje não ser a mais acessada e ter perdido espaço para outras que vieram, segue se renovando e se mantém à proposta inicial (apesar de algumas colheitas felizes).

George Harrison – George podia não estar no foco como Paul e John, mas ganhou o mundo com sua habilidade. Sabia quando encaixar sua guitarra nas composições e assim foi considerado um dos músicos de maior credibilidade do mundo. Quando seguiu carreira solo foi muito bem sucedido e o disco triplo “All The Things Must Pass” tem verdadeiros hinos. Se fosse uma rede social seria o Twitter: engajado, habilidoso e eficiente ao que se propõe. Os hinos seriam os memes, espalhados por aí e lembrados com saudosismo – ou nem tanto.

E você, o que acha? Concorda? Diz aí…

Via: fabulosaideia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s