Aquecendo as turbinas para o #PlanetaTerra 2011

Algumas informações importantes sobre o Planeta Terra Festival

Confira abaixo detalhes sobre as atrações e um pouco de som:

Beady Eye

A inglesa Beady Eye foi lançada em 2009 por ex-integrantes do grupo Oasis após a saída de Noel Gallagher da banda. É formada pelo vocalista Liam Gallagher, o guitarrista Gem Archer e o baixista Andy Bell, que passou a tocar guitarra no Beady Eye. Conta também com o baterista Chris Sharrock, que se tornou membro efetivo do grupo. Contrabaixo e teclado ficam por conta de Jeff Wootton e Matt Jones, respectivamente. O primeiro single do novo grupo saiu em novembro de 2010, Bring the Light, com download gratuito. O álbum de estreia, Different Gear, Still Speeding chegou ao público três meses depois, em fevereiro deste ano.

 

Bombay Bicycle Club

Em pouco mais de três anos, a banda inglesa Bombay Bicycle Club lançou três discos, um feito cada vez mais raro na indústria musical. O mais recente deles, A Different Kind of Fix, chegou às lojas em agosto deste ano, conduzindo o grupo a um lugar de destaque entre as principais bandas britânicas. Gravado em Hamburgo, Londres e Atlanta, o novo álbum foi saudado pela crítica internacional como um novo capítulo da cada vez maior evolução musical da banda. Para celebrar o novo álbum, desde junho o BBC tem se apresentado nos principais festivais de verão da Europa como uma das principais atrações. Formada por Jack Steadman, Jamie MacColl, Suren de Saram e Ed Nash, a banda traz seu rock indie e folk para o Planeta Terra em novembro.

Broken Social Scene

Canadense de Toronto, a banda indie Broken The Social Scene foi criada em 1999 por Kevin Drew e Brendan Canning. Somaram-se a eles Leslie Feist, Evan Cranley, Andrew Whiteman e Justin Peroff. Em 2001, saiu o primeiro álbum da banda, Feel Good Lost. No álbum seguinte, You Forgot It In People – premiado com Juno Award – chegaram à banda James Shaw, Emily Haines, John Crossingham, Brill Priddle, Jessica Moss e Jason Collett. Em 2005, a banda lançou seu terceiro álbum, homônimo, confirmando seu protagonismo na cena indie do Canadá, ao lado de nomes como Arcade Fire. Seu álbum mais recente é Forgiveness Rock Record (2010).

Criolo

Estreou no rap em 1989. Em 2006 lançou seu primeiro álbum de estúdio, Ainda Há Tempo. Nessa época, fundou a Rinha dos MC’s, que existe até hoje. Em 2007, foi indicado ao Prêmio Hutúz nas categorias Grupo ou Artista Solo e Revelação. No ano seguinte, vieram os prêmios de Música do Ano e Personalidade do Ano no evento “O rap é compromisso”. 2009 foi indicado novamente ao Hutúz na categoria Revelações da Década. Participou deDa Luz às Trevas, de Ney Matogrosso, e do filme Profissão MC, de Alessandro Buzo e Tony Nogueira. Para comemorar seus vinte anos de carreira, lançou o DVD Criolo Doido Live in SP.

Gang Gang Dance

A banda norte-americana produz um som descrito pela crítica especializada como “música experimental”. Seu tipo de som pouco convencional fez com que o grupo fosse convidado para se apresentar na Bienal de Artes do Whitney Museum of Contemporary Art, um convite raro, que lhes rendeu enorme reconhecimento no meio musical.

Garotas Suecas

Formado em 2005, o Garotas Suecas caiu nas graças de plateias brasileira e americana após o lançamento de três EPs e turnês nos EUA entre 2008 e 2009 – quando, segundo a Spin, a banda fez um dos shows mais comentados do South by Southwest, no Texas. Videoclipes de singles como BugaluCodinome Dinamite eCorina, além de shows memoráveis no Brasil, garantiram duas indicações ao Video Music Brasil, da MTV: Aposta (em 2008), que se sagrou vitorioso, e Revelação (2009). Com Banda Escaldante, o Garotas Suecas apareceu em enquetes e listas de melhores discos nacionais de 2010.

Goldfrapp

Alison Goldfrapp (vocais/sintetizadores) e Will Gregory (sintetizadores) criaram a Goldfrapp em 1999, em Londres. Reconhecida por sua contribuição à popularização da música eletrônica, foi aclamada pelo público logo no álbum de estreia, Felt Mountain (2000). Em 2003, o novo álbum, Black Cherry, emplacou singles como Strict Machine e Twist. Seu sucesso influenciou a produção “dance-oriented sound” de Supernature (2005), mesclando glam rock, synthpop e dance music. Um dos três primeiros nas paradas americanas, com hits como Ooh La La eNumber 1, foi indicado ao Grammy. O mesmo aconteceu com Head First, o álbum mais recente (2010), com dupla indicação no Grammy – Best Dance Recording e Best electronic/dance Album.

Groove Armada

Nos últimos 15 anos o Groove Armada esteve no coração da cena da música eletrônica europeia e internacional. A dupla britânica, criada em 1996 e formada por Yorkshireman Andy Cato (cujo nome real é Andrew Cocup) e Tom Findlay, ambos de Cambridge, conquistou os clubes e as paradas com uma sucessão de hits como I See You BabySuperstylin e Get Down. Eles também se estabeleceram como um dos melhores shows de Dance Music do mundo. Agora apresentam Redlight – a luz vermelha que indica abrir um novo capítulo. Com este projeto, a banda, marcará um retorno ao espírito dos armazéns onde começou a Groove Armada. Neste último verão europeu, a dupla voltou a Ibiza para lançar o projeto em uma residência no Space Terrace, pontapé inicial para uma série de shows que farão internacionalmente.

Interpol

Criada em 1997 em Nova York, o pós-punk revival da Interpol lhe levou a papel de destaque na cena Indie da cidade. Já comparada a Joy Divison e The Chameleons, contava na formação original com Paul Banks (vocais e guitarra), Daniel Kessler (guitarra e vocais), Carlos Dengler (baixo e teclados) e Greg Drudy (bateria e percursão), substituído em 2000 por Sam Fogarino. Seu álbum de estreia da banda, Turn on The Bright Lights (2002), foi aclamado pela crítica, liderando a lista dos Top 50 da Pitchfork. Depois vieram Antics (2004) e Our Love to Admire(2007). Seu álbum mais recente, homônimo à banda, foi lançado em setembro do ano passado.

Nação Zumbi

Nascida no começo dos anos 90, a banda Nação Zumbi (antes conhecido como Chico Science & Nação Zumbi, até a morte de Chico em 97) foi uma das responsáveis pela “abertura de portas” para o rock dos anos 90. Desde o lançamento do primeiro álbum, em 1994, passou por várias mudanças na sua formação até que chegasse à atual, que permanece inalterada desde 2002. Em 2006, a banda tocou no programa de TV britânico Later with Jools Holland, referência ao convidar destaques da música de todos os cantos do globo. Já lançaram oito discos, o último deles, Fome de Tudo, em 2007, e até o final deste ano, deve chegar as lojas um novo trabalho do grupo.

The Name

Surgido na cena independente brasileira, o The Name empolga pelo seu rock original e dançante, com influências do pós-punk e letras em inglês. Depois do enorme sucesso de público e crítica dos dois primeiros EPs, emplacaram os hits, Can You Dance Boy? e Let the Things Go – a capa do compacto vinil foi assinada pelo premiado ilustrador nova-iorquino Chad Walker. O trio paulista é formado por Andy (voz e guitarra), Molinari (baixo) e Alves (bateria) e além de rodar todo o País, já se apresentou em alguns dos festivais mais conceituados do mundo, como South By Southwest, Canadian Music Week e VOV.

Toro Y Moi

Toro Y Moi é Chaz Bundick, um americano nascido e criado em Columbia, na Carolina do Sul. Sua música apresenta forte influência das coleções de cassetes e vinis dos pais, sem falar da admiração que tem por contemporâneos como Animal Collective, Sonic Youth, J Dilla e Daft Punk. Seu álbum Underneath the Pine foi lançado em fevereiro deste ano pelo selo Carpark Records, recebendo excelentes críticas em publicações como Pitchfork e Gorila vs Bear. Com isso, Toro y Moi se consolida como uma das referências do movimento chamado Chillwave.

White Lies
Criada em 2007, a inglesa White Lies nasceu como como Fear of Flying. Formada por Harry McVeigh (vocais e guitarra), Charles Cave (baixo e back vocal), e Jack Lawrence-Brown (bateria), a banda de rock indie toca ao vivo como um quinteto, com os extras Tommy Bowen e Rob Lee. Seu album de estréia, To Lose My Life foi lançado em Janeiro de 2009 e de saída já ocupou a primeira posição no UK Albuns Chart. Nesse mesmo ano, foi premiada como Melhor Banda Nova nos Q Awards e, na mesma categoria, foi uma das bandas indicadas para o MTV Europe Music Awards. O segundo álbum, Ritual, saiu em janeiro de 2011.

The Strokes
Formado em 1996, em Nova York, o The Strokes tem como integrantes Julian Casablancas (vocais), Albert Hammond Jr. (guitarra), Nick Valensi (guitarra), Nikolai Fraiture (baixo) e Fabrizio Moretti (bateria e percussão). Seu quarto e mais recente álbum, Angles, foi gravado em estúdio e estreou na quarta posição na parada dos Top 200 Álbuns da revista Billboard. Já a revista Rolling Stone concedeu quatro estrelas ao álbum, descrevendo-o como “o melhor álbum que The Strokes já gravou desde Is This It, de 2001”. Na estrada desde 2010, a banda tocou nos principais festivais internacionais, entre eles Benicassin, Lollapalooza e Coachella.

E, depois de dez anos…

O Festival

Criado pelo Terra em 2007, hoje o Planeta Terra é consolidado como um dos maiores festivais da América Latina. Em 2007 trouxe à Vila dos Galpões em São Paulo Kasabian, Devo, Lily Allen, Pato Fu, Instituto, Supercordas, The Rapture, Cansei de Ser Sexy, Datarock, Tokyo Police Club e Lucy and The Popsonics.

No ano seguinte, no mesmo local, apresentou os shows de Mallu Magalhães, The Jesus and Mary Chain, Kaiser Chiefs, Curumin, Animal Collective, Foals, Spoon, Bloc Party, The Offspring e The Breeders.

Em 2009 mudou de endereço e foi para o Playcenter que contou com os shows de Iggy & The Stooges, Sonic Youth, Primal Scream, N.A.S.A, The Ting Tings, Maximo Park, Metronomy, Etienne de Crécy, Macaco Bong, Móveis Coloniais de Acaju, Copacabana Club, EX!, Patrick Wolf e Anthony Rother.

No ano passado realizou sua segunda edição no parque de diversões paulistano com os shows de Empire of the Sun, Girl Talk, Holger, Hurtmold, Hot Chip, Mika, Mombojó, Novos Paulistas, Of Montreal, Passion Pit, Pavement, Phoenix, República, Smashing Pumpkins e Yeasayer.

Com censura de 18 anos, o Planeta Terra Festival acontece pelo 3º ano consecutivo no Playcenter. Já transformado em um evento aguardado pelo público, o festival este ano bateu um recorde: todos os seus ingressos foram vendidos em apenas 14 horas, depois de colocados à venda, antes mesmo de todo o line-up do festival ser divulgado – um reflexo do nível de credibilidade e sucesso que o festival tem hoje junto ao público.

Em sua quinta edição festival terá uma área de mais de 80 mil m2, que inclui dois palcos (Sonora Main Stage e Claro Indie Stage), praça de alimentação, áreas de lazer, bares e áreas de interação. Este ano as portas do Playcenter serão abertas para o público às 13h.

Como nas edições anteriores, o Terra TV transmitirá ao vivo, na íntegra e em alta definição, em quatro canais simultâneos, todos os shows das bandas que estarão no Planeta Terra Festival.

Brinquedos

Todos os brinquedos abaixo estarão abertos no dia do evento, conforme o horário estipulado. Cataclisma, Barca Viking, Waimea, Monga e Windstorm funcionam das 13h às 22h. Sky Coaster funciona no mesmo horário mas será cobrado um valor adicional pelo parque.

Boomerang, Evolution, Auto Pista, Turbo Drop e Polvo estarão abertos entre 14h e 4h. Havendo necessidade, especialmente para garantir a segurança dos participantes, o parque poderá decidir pelo encerramento antecipado ou pela prorrogação de qualquer equipamento.

Reciclagem

Desde sua primeira edição, em 2007, o Planeta Terra Festival desenvolve ações de cuidado com o meio ambiente, minimizando os impactos do festival. A HP é patrocinadora de todas as ações de sustentabilidade no Planeta Terra 2011, junto com a ONG Recicleiros, empresa de desenvolvimento de projetos socioambientais, as iniciativas visam à redução do impacto ambiental aliada a benefícios sociais para as comunidades participantes do projeto e para o público presente. Para 2011, a previsão é que 100% do lixo do festival seja reciclado. O projeto de sustentabilidade prevê ainda a neutralização de CO2 produzido com o evento, além de distribuição de porta-bitucas para recolhimento do microlixo e lixeiras para promover a coleta seletiva.

Line-up oficial:

Palco Sonora Main Stage
16h – Criolo
17h30 – Naçao Zumbi
19h – White Lies
20h30 – Broken Social Scene
22h – Interpol
23h45 – Beady Eye
01h30 – The Strokes

Palco Claro Indie Stage
16h – Banda Concurso Hit BB
17h – The Name
18h30 – Garotas Suecas
20h – Toro y Moi
21h30 Gang Gang Dance
23h Goldfrapp
0h45 Bombay Bicycle Club
2h15 – Groove Armada

Serviço

Quando: 5 de novembro de 2011
Onde: Playcenter – São Paulo
Censura do evento: 18 anos
Site Oficial: www.planetaterra.com.br
Ingressos Esgotados

E faltando apenas 2 dias para o festival, o palco está quase pronto…”

Via: PlanetaTerraFestival

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s